Sunday, May 06, 2007

Como ser intelectual no Brasil. Vol.1



É fácil ter opinião no Brasil. O sujeito ganha um Big Brother e já se torna autoridade para opinar sobre tudo. Até sobre física quântica se quiser. No Brasil é muito fácil ser intelectual, ou melhor, pseudo-intelectual. O segredo é saber como agir. E agir.

O primeiro passo é comprar livros. Muitos livros. E colocá-los em um lugar a vista dos visitantes. Mas para ser profissional tem que ter um pouco de bom senso. Compre livros grandes, daqueles de no mínimo 700 páginas, de capa dura, para ocupar mais espaço na sua biblioteca particular. Quando já tiver essa “criança” de três polegadas em mãos coloque-a a mostra. As pessoas adoram ver livros, já ler é outra coisa.

O segundo passo é conhecer alguns temas e autores, pro caso de ir alguém que entenda do assunto na sua casa. Para ser intelectual, portanto, não deve se cometer a gafe de expor livros do Paulo Coelho, por exemplo. O lance é ter alguns daqueles de cara esperto sabe!? Aqueles de história, filosofia e sociologia. Pô, sociologia é muito cult, tem que ter. Para isso completa-se com os autores, Weber é básico. Só não vale Platão, já é muito batido, opte por um filósofo não muito conhecido, assim parece que você entende do assunto e busca fontes alternativas. Outra coisa sempre boa para ter em mãos é Freud, ele explica tudo.

Quando você conseguir todos estes detalhes fique tranqüilo, já é quase um intelectual. E o melhor, sem precisar ler uma linha nem ganhar um Big Brother. Mas para seguir no rumo em busca da opinião pública e estrelato uma coisa é fundamental. Jantas! Muitas jantas, com convidados do mesmo naipe que você, buscando ser cult. Tudo regado a muito vinho e a temas filosóficos, buscando explicações sociológicas para o coito dos coelhos da Malásia. Não tem erro essa, ninguém sabe nada dos coelhos malásios. Lembre também de ter alguns quadros, aqueles rótulos antigos reimpressos e algumas obras plásticas de artistas desconhecidos do mercosul.

A música também é importante. Nada de música clássica como deve ter pensado. É brega! O negócio mesmo é Jazz, Blues e Bossa Nova. Mas tem um detalhe, nada de nomes consagrados, somente algum que outro, tem que ser aqueles caras do sul da Inglaterra ou um Ianque desconhecido, do leste da Califórnia. Sempre funciona. Essa mistura, seguida de um óculos de grau, com aro grosso e escuro é certeira. Por isso é importante os detalhes visuais, eles dizem muito sobre você. Lembre de que além do óculos é necessário uma barba ou um cabelo meio louco, com calças xadrez e camisa. Também pode optar pelo estilo clássico, com uma gravatinha e blazer, mas este já anda fora de moda.

Depois que você conseguir tudo isso, tiver aprovação dos amigos e for fonte de referência na busca de opiniões inúteis, parabéns, você já é um intelectual. Agora é simples, sempre falar com convicções, mas sem atacar nenhum dos lados, pois vá que tenha alguém afim de argumentar. Lembre-se, sempre fale de livros nas conversas, é essencial para dinamizar sua intelectualidade. Depois que tudo isso estiver feito ajude uma ONG, lance um livro e mantenha-se nos holofotes. Perfeito, você é mais um intelectual brasileiro!

10 comments:

Diego Moretto said...

Legal...o que tem de pseudo-intelectuais a nossa volta é absurdo. Há, lembra daquele seu artigo sobre Os Chatos? Pois é, os pseudos podem ser incluidos na categoria. Os intelectuais, nerds acho q não. Pelo menos conheço alguns e não são não, um é ate meu amigo. Agora os pseudos, que se acham superiores, assistem a filmes da decada de 30 e ouvem Mozart ( nada contra, pois tbm curto ambos citados), são insuportáveis. Querem opinar sobre tudo e todos, tenta contrariar, mas quando ve que o bicho pega pro lado dele, baixa a guarda. A internet, ou especificamente, o orkut é repleto destes caras. Vira e volta tem uns, que dizem que odeiam o orkut, pois é coisa de ignorante,mas tem pq os amigos enchiam o saco para ele fazer e pronto, fez! Aff, muito tosco. E o pior é quando eles nos criticam, aí sai de baixo... pois seu gosto musical, literario e cinematografico é muito inferior ao deles.
Bom, é isso. Não suporto quem tenta da uma de intelectual, sendo que não tem cacife para ser tal. Espero que com este post (ou esta séria? Vol.1?) traga ao mundo mais e mais chatos pseudos intelectuais. Bom, é isso. ABS!

Matheus Cavalcante said...

Muito interessante seu post a respeito da intelectualidade e sobre a citaçao que faz aos novos famosos, que tentam arrumar uma imagem inteligente!!
Adicionei seu blog a minha lista de favoritos no meu blog, vou sempre dar uma passada por aki pra ler posts!
Se quiser depois entra no meu: http://forbetterdays.blogspot.com/

ate mais, tenha uma otima semana!

Matheus Cavalcante said...

sim... entao que bom que no sul do nosso país a visao tambem esta se modificando!
Eu tambem não vejo um futuro caotico agora, mas pra daqui uns 50 anos as situaçao creio que vai ficar caotica, a minha referencia de caotica é levada a por exemplo a nossa vida atual, com tudo em dia, tendo alimento e etc, pois é sabido que o caos ja é vivido por muitos povos nao so em questoes ambientai mas na vida, no dia a dia!


abraço

Giana Hahn said...

Muito bom teu post! Muito mesmo! Realmente, hoje, o próprio fato de ser reconhecido como intelectual é considerado "cult", "in" e outros termos estrangeiros (ah, intelectuais adoram termos estrangeiros..assim eles fingem que falam algo interessante e os outros fingem que entendem...os ouvintes tbm devem se passar por intelectuais). Para alcançar a intelectualidade é só seguir a receita, como bem escreveste. Acrescento outros ingredientes:
´Leia a sinopse dos livros e fale como se o tivesse lido de cabo a rabo, com firmeza e autoridade no assunto..e não deixe espaço ara ngm expor um contraponto..caso aconteça, mude de assunto..
Procure palavras difíceis no dicionário e, de preferência, tenha em mente frases prontas com elas, para fingir que as usa de forma automática e com segurança sempre que houver oportunidade!

O resto deixo pra ti, no teu volume 2!

L.S. Reis said...

Olha só, até eu posso! Já tenho os óculos, os cds de jazz e os livros na estante, rs...
Ótimo post! Acho que os intelectuais de meia tigela estão por toda parte... Achei interessante o lance dos livros! Muita gente compra só pra ter e mostrar mesmo (tenho que admitir que 1/3 dos que estão à mostra na minha estante ainda não li!)
Esses sujeitos cults... :P
Sempre viram mais filmes que vc, escutaram mais músicas, têm opiniões pra dar a torto e a direito!
Mas! Deixa eles pra lá.
abraço!

Pathy said...

É chato ter que admitir que você tem razão nesses pontos. =/
Mas vamos ver o lado positivo, pelo menos assim então o Brasil está cheio de pessoas "intelectuais" haha

beijos

Magazine ÓPe said...

Bravo! Bravíssimo!

mauro said...

olá Diego Moretto , gostei do seu post ..
meu pensamento sobre esse assunto , é praticamente o mesmo ..
no Brasil hoje não existem muitos intelectuais, e sim pseudo-intelectuais..
pois nesse país ,existem muitas pessoas famosas , que expressão sua opinião sobre diversos assuntos na mídia , e não sabem quase nada ..
abraço

orfheu said...

Parabéns amigo, espero que seu "post" tenha um efeito realmente inclusivo no "lato sensu" mesmo, pois, assim, teremos pseudo intelectuais em todos os cantos do micro universo chamado Brasil e o que é melhor! apenas seguindo uma receita que se baseia em uma mera metodologia tendenciosamente capitalista... Como neste em nossa temporalidade a coisa mais fácil é encontrar com pessoas que não conseguem em momento algum se desprender do efeito reflexivo do capitalismo, logo, todos sem exceção poderão potencial e exponencialmente ser em determinado momento um intelectual de primeira grandeza ou quiçá hic et nunc se desejarem... De resto, meus parabéns mesmo, sua contribuição crítica deverá ou motivar de vez ou ao menos inibir a prática desvairada desta pseudo erudita praxis... Saudações nordestinas a todos.

Guilherme Baptysta said...

Colocar um link para que possamos complatilhar no facebook. Preciso indicar esse artigo para umas pessoas . Parabens!