Tuesday, March 13, 2007

Mais uma do analista











Seguindo a serie do Analista de Bagé, vou postar outro texto. Este é muito bom, um dos meus preferidos deste livro. Espero que gostem.


O analista de Bagé recebe seus clientes de bombacha e pé no chão, nunca deixa de oferecer um chimarrão “ pra clarear a urina e as idéia” e o divã do seu consultório é coberto com um pelego. Tudo isso é verdade. Mas algumas coisas que contam sobre o analista de Bagé são inventadas. Como ele mesmo diz, “tão botando mais coisa na minha boca que água em pirão de quartel”. Não é verdade que as suas sessões de análise em grupo virem fandango e que ele as chame de “freudango”, ou “arrasta-trauma”. Ele se declara “mais ortodoxo que cafiaspirina e braguilha com botão”. Só o que fez foi mandar sua recepcionista Lindaura (“uma china que eu tava criando pra cruzá mas passou do ponto”) acompanhar as sessões com o seu acordeon de madrepérola, “tão chique que em vez de baixo tem gaffe”. Mas é claro que se alguém quiser dançar, desde que seja mantido o respeito, pode. Outra idéia do analista de Bagé foi promover jogos de futebol de salão entre os seus grupos de análise. Jogam os sádicos num time e os masoquistas no outro. Assim o jogo pode ser violento que ninguém se importa.

Mas o analista de Bagé não descuida dos seus clientes individuais. Outro dia recebeu um que teve que ser empurrado para dentro do consultório pela Lindaura.

- Mas que índio más chucro – disse o analista, puxando o moço pelo braço

- Ele diz que não quer tirar seu tempo – disse Lindaura

- Mas tu não ta tirando, tchê. Ta comprando.

- Mesmo assim... – Disse o moço, humildemente.

-Não te fresqueia e deita.

- Mas...

- Deita! – ordenou o analista, ajudando-o a se decidir com um empurrão.

- Quem sou eu.

- Mas tu parece cascudo atravessando galinheiro, tchê.

Qual é o causo?

- É uma bobagem

- Desembucha

- É que eu tenho este complexo...

- Sei.

- O senhor vai até achar engraçado.

- Engraçado é gorda botando as calça. Fala logo que eu tou com a salinha cheia de louco.

- É um complexinho

- To ouvindo

- Fico até envergonhado. Tanto complexo grande por aí...

- Fala, animal!

- Um complexo, coitado, é de inferioridade.

- E tu quer ser curado, no más.

- Se não der muito trabalho...

- Olha aqui, ó bagual. O que tu tem é vaidade

- Eu?

- Mais vaidoso que guri em chineiro. Conheço gente inferior aos monte. Inferior como tu.

- E daí?

- daí que nenhuma pensa que é doença!

2 comments:

Diego Moretto said...

Bom, mais um texto inteligentíssimo do Veríssimo... boa escolha Fernando. Eu já havia lido este, mas msm assim, msm lendo novamente, não consegui rir doq ja havia rido uma vez, hehehe. Bom msm. abs!

talvez? said...

Nunca havia lido seu blog. De muito bom gosto, todos os post são legais. Meus parabéns! Adorei o texto do analista. Na parte de:

- Engraçado é gorda botando as calça. Fala logo que eu tou com a salinha cheia de louco.

UIASDOSAHUIDSAIHDAS me casquei de rir! ;D parabens!