Monday, March 12, 2007

É preciso sujeira!


















As mães sempre pedem para a gente não se sujar. Cuidado com a roupa nova! Olha o sapatinho, não vai embarrar heim! Pois é, mas no fundo elas sabem que não adianta, criança adora e deve se sujar. Eu mesmo vivia sujo quando criança, não que minha mãe não cuidasse, mas é que não agüentava nem cinco minutos e já tinha que ir brincar na rua. Ah, bons tempos os que ainda se saia pra rua!

Mas hoje, após sair da aula e ver o trote dos bixos na faculdade, vinha pipocando no coletivo e escutando rádio. Nisso falava uma especialista que tem uma coluna sobre crianças. Dizia que era importante que a criança interaja com o meio, e o resultado disso conseqüentemente é a sujeira. Lembrou daquelas mães paranóicas que reclamam que o filhinho esta vindo muito sujinho da escolinha. E ressaltou que a higiene deve ser feita depois de se sujar, porque do contrário não há necessidade. Escutei esse assunto por vários minutos, o que foi muito bom, pelo menos escutava algo além do ronco infernal daquele motor, e também o do senhor que sentava a minha frente, com uma sacola de frutas e o nariz roçando no vidro.

De tudo que ouvi, uma relação ficou marcada na minha cabeça. Sujeira x Interação. Nossa, é exatamente isso! Como nunca parei pra pensar que a sujeira é resultado da interação com o meio. Parece obvio, mas para uma pessoa com o QI igual ao meu, ah, não é não. Desci do ônibus, mas não consegui deixar essa relação ao lado do senhor das frutas. Ela me perseguiu. Era como uma sombra que, apesar de ser meio dia, eu não conseguia pisar sobre ela. Como um desses detetives malandros, ela me perseguiu até em casa. Não fez muito esforço é verdade, afinal é apenas uma quadra. Sentei para almoçar, liguei a Tv bem alto, pois apesar da idade não tenho um ouvido tão bom assim. Olhei para a comida, estava intacta, até a minha garfada e, posteriormente, o meu mastigar. Está aí, a interação. O assunto voltava à pauta, mas realmente eu não queria saber daquilo, até porque os gols do meu time no final de semana estavam passando na televisão, e esse é o momento mágico do meu dia.

Comi como um porco! Bastante mesmo. E como de costume deitei-me cinco minutinhos. Pensei comigo, num daqueles momentos em que a gente realmente se sente um ser divino, “é verdade!”. Como que por uma revelação cósmica eu pude sentir o éter da verdade nas minhas mãos. É verdade, para haver interação há de haver sujeira. Nada pode interagir se não deixar do seu estado natural. Então eu entendi porque nós seres humanos estamos todo o tempo tentando interagir. Seja com o açougueiro, o flanelinha, bom, o flanelinha não, porque na maioria das vezes são uns chatos, mas com os amigos e pessoas sentadas do nosso lado no banco do ônibus. Nós temos a necessidade de trocar sempre o nosso estado natural. Precisamos de emoções, informações e conseqüentemente conhecimento. Neste momento de revelação pura entendi o porque do trote nos bixos, ou calouros, nas universidades. É mais que um ritual de iniciação. É uma interação com os outros. Mas para isso eles voltam aos tempos de criança, e tem que se sujar, brincar, rir e dançar. É como uma celebração do momento onde a infância passa a ficar apenas no coração. A partir de agora o caminho é outro. Mas não menos importante, e não menos mágico.

2 comments:

Diego Moretto said...

E estamos nós de novo!
Penso que o trote exemplifica bem o que tu quis demosntrar neste post. Com exceção de alguns dignos de desprezo, os trotes realmente servem para aliviar uma tensão que pendura durante muito tempo em nosso corpo. Foram anos se matando nos livros, na calculadora, etc.. Ao se obter um resulatdo satisfatorio de tamanho esforço, é viavel que "purifiquemos" d uma forma bela e infantil, como se voltassemos ao nosso jardim... A troca de experiencias e conhecimentos com os veteranos, de uma forma alegre e descontráida, é algo mais doq natural no corpo de nós seres humanos, como vc msm disse Fernando. Então é isso nada melhor do que aliviar uma carga emcional pesada doq uma brincadeira boa e boba, seja com os amigos, com a garota,ou com quem for. É válido até um bate-papo com um senhor ao lado do assento no ônibus, ou com um "amigo" virtual, hehehehehe. Ótimo post cara, gostei muito.
OBS: Não sei qual é o tipo de problema que tem no ouvido, sou surdo do ouvido direito e na nossa idade sabemos o quanto saco isso é. tsc tsc. abs!

Fernanda said...

Adorei mesmo!!!!
Quando li, dei-me conta que não sou mais a criancinha da mamãe!
Bah , a minha infâcia jah tah no coração faz horas... Mas na verdade eu acho que eu naun queria crescer! Sindrome de Peter Pan????Deixar toda a inocência para traz e ter que encarar o mundo, o trabalho, a faculdade, as responsabilidadesdes uma vida adulta naun é facil, mas é necessário!Como tu mesmo disseste, o momento também muito especial...
To me tornando fã...
e u te disse bem o que eu senti quando li o texto... Mas foram lágrimas de felicidade e de emoção, pois conseguiste traduzir em palavras um sentimento que sentimos e que muitas vezes não conseguimos explicar...
bju